quinta-feira, 31 de março de 2016

MODELO PAULORRAMENSE DISPUTARÁ TÍTULO EM SÃO PAULO



PAULO RAMOS EM DESTAQUE NACIONAL: JOVEM DE PAULO RAMOS DISPUTARÁ TÍTULO EM SÃO PAULO.

 

A Jovem paulorramense Rebecca Araújo (filha de Nalva Araújo e Lindeman Araújo, falecido), que é modelo, acaba de viajar para São Paulo, onde disputará, com outras garotas, um título, através da agência Joy Model.

 

Seu ‘aquecimento’ será no Cruzeiro Summer Look, no início de abril.

 

Ainda não é uma consagração, mas pode ser um começo... num mundo que não resiste aos encantos das ‘passarelas da moda’. Só tem um problema: as meninas não podem comer muito; elas precisam manter a silhueta.

 

Fica a torcida do nosso Blog, para que Rebecca, independentemente de trazer o título, participe bem...  faça muito sucesso, como já ocorre em Teresina/PI.

 

Esse pode, sim, ser um bom começo; é a nossa Gisele Bündchen, orgulhando sua família e nossa terra, Paulo Ramos.

 
Boa Sorte!!

MULHER DO DEPUTADO EDUARDO CUNHA FAZ GASTANÇA EM PARIS

 
MULHER DE EDUARDO CUNHA GASTA EM PARIS 64 MIL REAIS.... EM APENAS 3 DIAS. VOU REPETIR: EM 3 DIAS.
 
Vou-me embora para Paris,
Lá sou amiga do ‘Rei’,
Farei minhas compras caras,
Sem qualquer empecilho, chateação ou ‘frei’.
 
Vou-me embora para Paris,
Lá andarei sob a ‘luz’,
Andarei sobre as vielas,
Sem carregar nenhuma ‘cruz’.
 
Chega! Daqui a pouco, vão querer me processar, dizendo que eu quero plagiar Manuel Bandeira, com o poema pasárgada.
 
 
O Saite Uol, de ontem, dá a notícia, meio ‘debochenta’, perguntando: como é gastar 64 mil reais em 3 dias?
 
Pois é.. esta foi a mixaria que a mulher de Eduardo Cunha, Cláudia Cruz, torrou em apenas 3 dias, na cidade luz, como Paris é chamada.
 
Nosso Blog tentou achar a ‘equação’ da gastança.
 
Confesso a vocês que não foi fácil.... entender a proeza levou a exigência de uma calculadora dessas simples. No final, ficou uma certeza e uma decepção.
 
A certeza é a de que, quando se usa ‘pólvora alheia’, a pessoa não se preocupa em atirar para todos os lados e até mesmo para cima, ao vento; o que importa, mesmo, é gastar a ‘pólvora’ e ver a fumaça sair pelo ‘cano’. No caso aqui, o cano é a b., do brasileiro.
 
A decepção, no caso, é saber que o Brasileiro normal (com exceção de poucos ricos e milionários), jamais poderá dar-se ao luxo de gastar, aproximadamente, R$ 1700 a cada 60 minutos num intervalo de 12 horas diretas no decorrer do dia (levando-se em conta que a gastança da mulher excluiu as horas da noite e da madrugada, por questão de lógica).
 
Ainda dizem que Paris não presta. Agora eu cheguei à conclusão de que tem gente que gosta mesmo é de falar de Paris, sem motivo algum.
 
Viva Paris!
 
Viva a cidade luz!

quarta-feira, 30 de março de 2016

GRUPO DE DEUSIMAR SERRA FAZ REUNIÃO DE EMERGÊNCIA PARA EVITAR 'ESTRAGOS'




NOTÍCIA DO BLOG SOBRE A TROCA DO CANDIDATO A ‘VICE’, OBRIGA DEUSIMAR SERRA A FAZER REUNIÃO DE ‘EMERGÊNCIA’.

 

Todo o mundo sabe que Deusimar Serra é rápido no ‘gatilho’... experiência é o que não lhe falta. Nessa parte, ele está bem aparelhado.

 

Bastou uma notinha do Blog A, ontem, sobre o plano diabólico de trocar o nome do ‘vice’ que havia sido programado há meses, para “DS” entrar em ‘cena’, igualmente como faz o Corpo de Bombeiros quando sabe de um incêndio.

 

Para evitar estrago pior, logo na hora da ‘largada’, Deusimar Serra ‘destrinchou’ as coisas... colocou tudo em pratos limpos, para evitar mal-entendido e comentários maldosos.

 

E, para não deixar ‘restos a pagar’ – como fez Noronha, aproveitou para divulgar sua lista de candidatos, usando um perfil falso no Facebook, de “Jacinto Vitoria” – feito por uma pessoa conhecida de muitos na cidade.

 

Nem adianta mais ficar escondida... perdeu a graça!

 

A única novidade vinda com a reunião de ‘emergência’ foi o fato de Deusimar Serra confirmar o ainda vereador Francimar Oliveira para a vaga de vice, na candidatura/chapa de prefeito nas eleições de outubro. Nesse ponto, “DS” surpreendeu muita gente.

 

Segundo alguns, rifar Francimar Oliveira, à essa altura do campeonato, poderia trazer mais prejuízos do que benefícios.

 

Weltran Arruda, vereador, também foi colocado na lista de seus candidatos ao cargo de vereador (reeleição), confirmando as previsões dos últimos meses. Ou seja, Weltran Arruda – que estava na ‘coluna do meio’, resolveu fazer aquilo que o Ibope já havia divulgado há meses: foi para os ‘braços’ de “DS”.

 

Não se sabe ainda o porquê, mas houve uma alteração no que diz respeito aos nomes de dois candidatos à Câmara Municipal.

 

O primeiro da lista é o próprio Francimar Oliveira, que agora, passou a ser rotulado como ‘Francimar do Nazeu’, talvez para receber uma nova roupagem, dando, assim, uma forcinha para o colega de chapa, cuja imagem vem sendo ‘retocada’ nos últimos meses, por motivos óbvios.

 

O segundo, é a postulante Diana Mourão que, de agora em diante, passará a ser rotulada como “Diana Mourão Bonfim”. Ela entendeu de acrescentar o apelido, sem ter autorização do cartório, ou melhor, sem falar com o Silveira.

 

Dizem que a sugestão partiu de Deusimar Serra, para que Diana seja chamada, a partir de ‘ontem’, com o “Mourão e o Bonfim”.

 

Eles acabaram praticando um pequeno equívoco, senão vejamos.

 

Ora, se os “Bonfim” estão sendo questionados na Administração e na Política locais, por que, então, fazer uso do nome da família? Me diga?!

 

Se não prestasse, eles iriam, mesmo, usar o nome da família? Seja sincero!

 

A questão é que eles ‘lá de dentro’, sabem com toda a certeza, que usar “Bonfim” não é tão ruim assim.

 

Às vezes, na armação das estratégias, alguns políticos têm dificuldades para evitar certos equívocos ou erros. Aí, terminam passando para a opinião pública que ‘falar, falar’, é somente uma questão de pura ‘estratégia’ mesmo. Nada mais do que isso.

 

Parece, até, que Deusimar Serra vai disputar um campeonato de apenas um time: o dele próprio. Campeonato sério, como se sabe, tem que ter, ao menos, duas equipes. Lembra do caso de FHC, quando saiu na Revista Veja, posando com a faixa de prefeito em São Paulo? Jânio Quadros varreu ele bem direitinho.

 

Se “DS” está pensando uma loucura dessas, aí eu garanto que ele está cometendo mais um erro. E esse, como se sabe, é mais complexo ainda.

 

Viva a vida!

 
Uma ótima quarta-feira para o nosso povo e a nossa gente.

 
Prepare-se: o aquecimento da eleição vai começar!!

MARAJÁ DO SENA E SEU 'CENTRO ADMINISTRATIVO' ABANDONADO!



PREFEITO DE MARAJÁ DO SENA NO MARANHÃO ‘ESQUECE’ DE CUIDAR DO “CENTRO ADMINISTRATIVO”.
 
Foto: Juliano Viana (facebook).

 
A imagem do Centro Administrativo de Marajá do Sena, no Maranhão, fala por si. Ela indica, na melhor das hipóteses, uma falta de cuidado e também de respeito com o prédio-sede da Administração local, aquele representativo da própria existência do Município. Por este motivo, deveria estar sob um cuidado melhor.
 
Nestes tempos de muita incompetência nas administrações públicas municipais em todo o País, ‘São Pedro’ pode pagar uma conta que não fez, já que alguns gestores dão-se ao luxo de transferir responsabilidades, numa prática oportunista e até condenável, de botar a culpa em quem não tem nada a ver com os desmandos que eles patrocinam.
 
É lamentável que a própria sede do Poder Executivo do Município de Marajá do Sena esteja quase ‘ilhada’, com lama na sua parte mais importante: a frente, que deveria estar bem cuidada para dar livre e bom acesso ao povo e ao próprio Gestor, Sr. Edvan Costa, a menos que este tenha outra noção de sua importância e serventia.
 
Infelizmente, essa hipótese não está descartada, pelos exemplos de abandono que Marajá do Sena vem sofrendo, junto com boa parte da população, há meses.
 
Se falta tino do Gestor municipal para cumprir obrigações tão simples, qual a determinação, então, tem o Prefeito para realizar tarefas mais complexas?
 
Essa resposta nós não poderemos dar à população e vamos deixar que as pessoas convivam com esse dilema, ainda que a contragosto.
 
Se a ‘culpa’ é de “São Pedro”, então será ele, também, responsável pelo caos que virá com os meses chuvosos – quando a lama, por motivos óbvios, só tenderá a aumentar de volume, dificultando, ainda mais a presença do povo num bem que é seu, construído por meio dos impostos que o cidadão paga, de modo religioso, inclusive.
 
O cenário de quase-abandono que toma de conta do “Centro Administrativo” de Marajá do Sena, talvez seja uma bela oportunidade para que a população do Município faça uma boa reflexão sobre se é esse mesmo o “modelo” de gestão que interessa ao desenvolvimento de Marajá – uma terra que tem a obrigação de afastar muitos tipos de pobreza que lhe afligem, inclusive aquele relacionado com o eventual descaso e/ou desrespeito de seus gestores.

BR-135 E A INSTALAÇÃO DO CAOS: UMA REALIDADE 'INESQUECÍVEL!"




NOTA DE 'UTILIDADE PUBLICA': O CAOS DA BR-135 É UMA REALIDADE INCONTESTÁVEL!
 
Atenção! Muita Atenção!
 
Se você estava programando uma viagem para a Capital do Maranhão, São Luís, mude de ideia, enquanto é tempo. Seja prudente! Não arrisque em tempos de crise!
 
O cenário é, para ser bem "sincério", quase de "guerra", pela concorrência de veículos por espaços sem buracos - uma opção muito pequena e, ao mesmo tempo, arriscadíssima.
 
Aliás, na BR-135, a coisa está quase pela 'hora da morte'. Tem buraco esperando 'vaga'. Pode acreditar!
 
Pois bem... a situação não está favorável; pensar na BR-135 só se for para lembrar do tempo em que ela prestava para viajar.
 
Daqui a alguns dias, se o caos piorar, vai ser mais 'aconselhável' você andar pelas estradas do Afeganistão ou do Paquistão; pelo menos o motorista não vai precisar levar três pneus de reserva. Infelizmente, ele vai ter de levar apenas três metralhadoras, por razões que dispensam comentários. 
 
Com a palavra, o DNIT ou mesmo Dilma Rousseff. Ou, quem sabe, Michel Temer, Renan Calheiros, Cunhão, Sarney, Romero Jucá.......... Já tem gente demais!
 
Infelizmente, parece que o caos, realmente, pode até aumentar de tamanho!
 
Que Deus fique, realmente, do nosso lado!!
 
 
 
 

terça-feira, 29 de março de 2016

'CONFUSÃO' NO GRUPO POLÍTICO DE DEUSIMAR SERRA: "onde há fumaça, há fogo"!


Deusimar Serra e 'Gatinho' 'iô-iô' entre Francimar Oliveira e Ivan Matos, vereadores, em Marajá do Sena, sábado, dando apoio a Luís Abreu e Edvan Costa


DEUSIMAR SERRA E O ‘IMBRÓGLIO’ DA VAGA DO VICE. VEM CONFUSÃO POR AÍ. Será o Benedito?
 
Tem um ditado popular que diz que “quando há fumaça, há fogo”.
 
É um ditado que tem uma taxa de acerto de fazer inveja. Quando alguém teima em insistir a respeito, é muito difícil que as “profecias não se concretizem”. Na maioria das vezes, as coisas se encaminham do jeitinho que foi imaginado.
 
Quando isso ocorre, não é exatamente pela vontade das pessoas e nem pela força de algum santo, por mais poderoso que ele seja; são os fatos que determinam o acontecimento.
 
É assim que, atualmente, se encontra o grupo político de Deusimar Serra, em relação ao preenchimento da vaga do vice candidato ao cargo de prefeito nas próximas eleições municipais em Paulo Ramos – prevista ou propalada para recair na pessoa do Vereador Francimar Oliveira, mesmo com a torcida do Flamengo inteira dizendo, desde muito, que essa possibilidade não irá se materializar.
 
Tem gente que diz, desde a passagem de Francimar ao grupo político de Deusimar Serra, que o plano da vaga de vice só existiu de verdade, na cabeça do referido vereador, e que o próprio “DS”, desde o começo do mundo, sabe que a dita pretensão foi e continua sendo um plano pra lá de maquiavélico por parte do grupo da oposição.
 
O plano teria sido apenas para ‘segurar’ Francimar Oliveira, ganhando-se tempo, até o momento ideal de ‘trocá-lo’, quando chegasse a oportunidade.
 
Essa oportunidade, ao que tudo indica, mostrou sua cara ontem, domingo – quando Deusimar Serra fez uma reunião em sua própria residência, para a qual teria convidado o Vereador Weltran Arruda, cuja ausência foi entendida por muita gente de seu grupo como uma espécie de ‘senha’ para mudança de rota, que poderia atingir as pretensões do vereador Francimar Oliveira. 
 
Nós, como muitos sabem, trabalhamos com previsões. E quando os fatos do presente nos ajudam nessa tarefa, fica mais fácil a gente antecipar o que vai acontecer somente amanhã.
 
Ainda é cedo para dizer que a ‘rota’ da embarcação vai sofrer mudança de rumo, passando pela pessoa do vereador Francimar.
 
Mas confesso que muita gente tem dificuldade de ficar contra essa ‘profecia’.
 
Para falar a verdade, tem gente por aí torcendo, até, para que essa ‘profecia’ se concretize o mais rápido possível.
 
Antes disso, é preciso que Deusimar Serra formule um bom plano para Francimar Oliveira, já que uma operação de ‘soma’, com outro nome, poderia ensejar um chafurdo do tamanho de um ‘sete-estrela’, causando, assim, uma bagunça de consequências imprevisíveis.
 
É essa hipótese, de bagunça, que Deusimar Serra deve avaliar para não cometer erro, numa hora em que uma falha poderia comprometer o início da largada – trazendo dificuldades, às vezes, para todo o trajeto.
 
Agora, é esperar para ver se as profecias vêm ou não.  

segunda-feira, 28 de março de 2016

FLÁVIO DINO VAI OBRIGAR O GOVERNO FEDERAL A CONSERTAR A BR-135. E O RESTO DO MARANHÃO?




FLÁVIO DINO VAI ENTRAR COM AÇÃO JUDICIAL PARA MELHORAR A BR-135, A ESTRADA QUE DÁ ACESSO À CAPITAL. É isso mesmo que você está lendo!

 
Muito boa a providência do Governador Flávio Dino – de querer ajuizar ação judicial para obrigar o Governo Federal a consertar a Estrada que dá acesso à Capital do Maranhão, São Luís, a BR-135 – atualmente com cinco buracos por metro quadrado.

 
Beleza!

 
Nesse ponto, ninguém vai ficar contra o Governador, especialmente aquelas pessoas que viajam para a Capital, pela estrada, cheia de buracos, um atrás do outro. Tem buraco que está esperando ‘vaga’, tal o caos instalado por ali.

 
Aliás, já tem gente dizendo, hoje, que é errado chamar “estrada com buracos”; o correto seria dizer “buracos com estrada” – tal a desgraceira que tomou conta da BR-135, com motorista parados, ‘aqui e acolá’, para trocar pneus de seus veículos.

 
O ruim, atualmente, é que os donos de veículos são obrigados a levar 3 pneus de reserva. É que em cada viagem feita para a Capital do Estado, a pessoa fura dois, no mínimo. Assim, levando um pneu a mais (ou seja, três), o motorista estará prevenido para o pior, garantindo chegada ao destino. É mole ou quer mais?

 
Tem que ser com humor e sátira, senão a gente não goza! Quando chegar à noite, a gente está sem um pingo de tesão. E tesão é algo bem democrático... é nessa hora que o pobre se iguala ao rico, independentemente da quantidade de dinheiro na conta bancária.

 
Aliás, tem muito rico por aí que não quer saber de tesão.... o que importa é o saldo na conta. O dinheiro é tudo.... e um pouco mais!

 
Eu, particularmente, trocaria tudo que tenho para garantir minha tesão até os 70 anos de idade; basta até os 70 anos.  Até porque daí em diante, tudo que vier é lucro. Quando chegar aos 70, a gente pede mais 10 anos extras; Se colar, tá bom demais!

 
Sim, mas voltando a Flávio Dino e sua vontade de obrigar o Governo Federal a consertar a BR-135, acho que a sua providência é muito salutar.

 
O que muita gente não entende, mesmo, é como Flávio Dino quer entrar com uma ação na Justiça, contra o Governo Dilma Rousseff, enquanto as estradas do Maranhão estão “à beira da morte”, com os buracos “nadando por cima”.

 
O que ninguém entende, também, é como a Estrada Paulo Ramos – Vitorino Freire (MA 008), por exemplo, há muitos anos está precisando de asfalto e nada... apenas uma máquina ‘ciscou’ pra lá e pra cá, em janeiro.

 
Flávio Dino, em sua campanha eleitoral, chegou a prometer melhoria na MA. Agora, é o momento certo de trazer o asfalto, para evitar que atoleiros se repitam, como o que a fotografia retrata.

 
Aliás, nesse mesmo local da foto, há possibilidade de que veículos venham a atolar, novamente, daqui a dois ou três meses, causando transtorno, prejuízo e muita decepção com o Poder Público.

 
Se isso acontecer – o que é uma probabilidade alta, ninguém vai ter o direito de culpar “São Pedro”.  Nem mesmo o Governador Flávio Dino.

 
E não adianta Flávio Dino dizer que entrou com ação contra o Governo Federal, ainda que seja com o objetivo nobre de melhorar a BR-135.

 
Senhor Governador Flávio Dino, o povo ficaria feliz se Vossa Excelência pedisse direito de resposta para se justificar.

 
De todo o modo, Governador, tenha um bom começo de semana!

 
O povo de Paulo Ramos e Vitorino Freire, aguardará o “plano de Deus”, na certeza de que, ao menos na parte da esperança, seu direito não cresceu; mas também não diminuiu.

 
Pensando bem, isso já é alguma coisa!

 
Fui!!!

MINISTRO GILMAR MENDES DO STF E SUA 'METAMORFOSE AMBULANTE'

 
GILMAR MENDES E SUAS ‘GUINADAS’ DENTRO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. É a metamorfose ambulante?
 
 
Os questionamentos jurídico-políticos dos últimos dias, vindos com a suspensão da posse de Lula para a Casa Civil do Governo Dilma Rousseff, obriga o operador do direito a fazer um ‘link’ com as argumentações do jurista Ives Gandra Martins – amigo do ministro Gilmar, do STF.
 
Ives Gandra disse que Mendes, além de ser independente “... decide sempre com convicção e base jurídica”. E mais: que a postura “severa” do ministro Mendes não advém de seu temperamento, mas da “preocupação ética”, definiu Gandra.
 
Pois bem.
 
 
A suspensão da posse de Lula à Casa Civil (de quem não sou partidário e/ou fã) foi ‘alcançada’ com um instrumento nada adequado e por um postulante igualmente estranho: um partido político.
 
Aliás, foi nesse caminho que Gilmar Mendes, tempos outros, bloqueou pretensão semelhante, com o argumento, muito válido, de que falece legitimidade para tanto, sem falar que a via do mandado de segurança também nos parece um tanto inadequada para objetivar pretensões do tipo.
 
Se Gilmar Mendes, como se sabe, é especialista em controle de constitucionalidade de leis, com alguns livros publicados, como fazer, então, para justificar guinada tão impensável?
 
Sabe-se que o Ministro, há muito, trava embates com o pessoal do PT. Mas a questão referente a Lula, não diz somente com o respeito à legitimidade do postulante, para manejar o Mandado de Segurança, como ação. Diz respeito, fundamentalmente, ao entendimento pessoal e firme, de Gilmar, sobre a controvérsia posta a debate – sintonizado, inclusive, com o pensamento da Suprema Corte.
 
Teria, o ministro Gilmar, buscado subsídios em “O príncipe”?
 
Nesse caso, seria preciso combinar com Maquiavel!

NOVO PEDIDO DE IMPEACHMENT CONTRA DILMA ROUSSEFF: AGORA É A OAB.

Michel Temer e Dilma Rousseff
 
NOVO PEDIDO DE IMPEACHMENT DE DILMA ROUSSEFF SERÁ APRESENTADO HOJE, 28. AGORA É A OAB QUE FAZ SUA INVESTIDA.
 
Não é segredo para ninguém que a atual situação política de Dilma Rousseff é mais do que difícil, por conta da tentativa de cassação de seu mandato, via processo de Impeachment – coisa que ela tem dito aos quatro ventos que é “golpe”, por inexistir fundamento para tanto.
 
Pois a situação de Dilma, por incrível que pareça, pode piorar um pouco mais – se é que isso seja possível.
 
É que a OAB, nesta segunda, promete fazer sua investida, com um novo pedido de Impeachment, lastreado em fatos novos: interferência da Presidente da República nas investigações da Operação Lava-Jato, com base nas recentes declarações do Senador Delcídio ‘Kamikaze’ do Amaral.
 
O pedido também envolve supostas irregularidades relacionadas com a Copa do Mundo de 2014, alusivas à renúncia fiscal indevida e prejudicial aos interesses do País.
 
A presidência da Câmara, por óbvio, vai se pronunciar sobre a aceitação ou não do pedido do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e como o processará, uma vez que a prioridade do momento é a condução do processo de Impeachment que já está correndo, num ritmo, aliás, bem diferente das Sessões normais do Congresso, em Brasília.
 
As Sessões da Casa, por conta do pedido de Impeachment, estão acontecendo a ‘toque de caixa’, ou seja, com regularidade 100%, para garantir a contagem do prazo, a fim de ensejar a defesa da Presidente Dilma, quando, então, a respectiva Comissão vai analisar se a proposição analisada vai passar adiante ou não.
 
Vamos aguardar.... a situação pode não complicar. Mas, a tendência é no sentido contrário.
 
É bom ter a máxima cautela.... em Brasília o tempo está ‘meio’ instável.
 
Nesse cenário, tudo é difícil de prever com chance de acerto, levando-se em conta que nesta terça-feira, 29, o PMDB – grande ‘aliado’ e ao mesmo tempo grande ‘encalço’ do Governo, vai decidir se desembarca ou não da caravana do Planalto.
 
Dilma Rousseff promete jogar todas as suas fichas. Agora, é tudo ou nada!

domingo, 27 de março de 2016

JUSTIÇA CONDENA A PREFEITA MAURA JORGE DE LAGO DA PEDRA, NO MARANHÃO. "E agora, José?!"

 
JUSTIÇA CONDENA A PREFEITA DE LAGO DA PEDRA/MA, MAURA JORGE: ELA ESTARIA USANDO A PROPAGANDA INSTITUCIONAL EM BENEFÍCIO PESSOAL
 
Na sentença, o juiz Marcelo Santana, da 1ª. Vara da Comarca, determinou, além de multa e ressarcimento, a perda do cargo da atual gestora.
 
Artigo, por Alex Barroso* (advogado e assessor jurídico municipal)
 
 
Há 10 dias, uma sentença judicial, impondo a perda do cargo da atual prefeita de Lago da Pedra/MA, Maura Jorge Ribeiro, pelo Juiz Marcelo Santana, da 1ª. Vara da cidade e Comarca de mesmo nome, chamou a atenção de muita gente, não pelo motivo que teria causado o nascimento da ação judicial, mas pelo caráter inusual do tipo de pretensão (e da decisão), numa República em que alguns gestores públicos cobiçam, além do mais, as benesses que o Poder Público pode propiciar aos seus inúmeros propósitos – alguns, infelizmente, em detrimento dos interesses da coletividade.
 
Estes propósitos, não raras vezes, estão em completo divórcio do interesse público – o interesse fundamental de uma gestão, nos moldes dos princípios contidos na Carta Magna, a fim de viabilizar a satisfação das pessoas, ou seja, do cidadão-contribuinte em face da missão jurídico-social do Estado.
 
A prefeita Maura Jorge, de acordo com a ação proposta pelo Ministério Público Estadual, estaria tirando proveito, por via da regular propaganda levada a cabo pelo Poder Executivo Municipal, em relação a obras e/ou serviços da Municipalidade.
 
Maura, como é mais conhecida, desde os tempos em que entrou na vida pública, como deputada estadual, estaria se utilizando da letra “M”, na palavra “Modernidade” estampada nos informes da Administração, destacando-a, propositada e acintosamente, para aludir a seu nome, daí o caráter indecoroso da conduta – por esconder a extração de um benefício pessoal, à custa do Erário que deveria estar protegido pelas ações que o gestor materializa no comando da Máquina, na busca do bem-comum.
 
Segundo a ação de improbidade julgada procedente, Maura Jorge – no período de 2009/2011 teria sido tão incisiva em seu calculado e nocivo propósito, na condição de prefeita, que chegou a grafar em uma das obras apenas a palavra “M”, tal a singularidade da impensável ‘proposta’.
 
Pela conclusão do magistrado sentenciante, Maura Jorge agiu, como se diz na linguagem popular, de ‘caso pensado’. Nessa hipótese, infelizmente, muitos gestores se encaixam. Eles estão espalhados por aí.... basta você pensar em seu Município ou no mais próximo. Vou dar, adiante, alguns exemplos, os quais servirão, ora para mostrar o lado trapaceiro do gestor, ora para demonstrar o ‘respeito’ com que o cidadão é tido na ‘conta’ do homem público, na atualidade.
 
Por esta razão, a sentença do juízo da Comarca de Lago da Pedra, além de declarar a perda do cargo, ainda impôs à Prefeita Maura Jorge o pagamento de uma conta pra lá de salgada: multa civil de R$ 715 mil e ainda o ressarcimento dos danos causados com a prática tida por violadora da norma constitucional, num patamar também considerável, de R$ 238 mil, valores esses que, juntos, importam a quantia de quase R$ 1 milhão.
 
Não quero e também não devo opinar sobre a questão, a partir da situação concreta, ou seja, dos autos do processo – por não conhecê-los, como muitos; e também porque não me dizem respeito.
 
Mas, confesso que a simples menção à hipótese me motiva a tanto, não somente com base em meu direito constitucional de expressão, mas também em função de tratar de um assunto que já foi objeto de discussão e até luta nas lides forenses, como profissional do direito.
 
Antes, e somente para situar o leitor no imbróglio objeto do debate, trago à visualização o conteúdo da norma constitucional enfeixada no § 1º., do inciso XXII, do Art. 37, da Carta Magna, assim a dispor:
 
“§ 1º. A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos” (grifei).
 
Por sua vez, o Caput, do citado Artigo 37, reza: “Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade......” (destaquei).
 
Entendo, porém, inoportuno tecer maiores questionamentos sobre a questão jurídica, em si, para deixar o texto o mais acessível possível, já que, imagino, caminhar no sentido contrário estaria contribuindo para dificultar a compreensão do texto, por deixá-lo muito técnico; o que importa, mesmo, é focar o cerne da questão, relacionado com o comportamento reto do gestor, no mandato, e o faço através de situações do dia-a-dia.
 
Mencionarei, aqui, três Municípios: Vitorino Freire, Bom Lugar e Bacabal, açambarcados por condutas a atrair os nossos olhares, bem assim da Justiça, visando a coibir o mesmo tipo de prática inadequada e imoral que a decisão judicial de Lago da Pedra diz ter a prefeita Maura Jorge praticado.
 
.... os tempos eram aqueles do mandato do conhecido político Juscelino Rezende. O então prefeito entendeu de cravar as iniciais “JR” em um local ‘pouco visível’: os bancos da Praça José Sarney, no centro da cidade de Vitorino Freire, onde transitam diariamente muitas pessoas. É o local público, por excelência, que as pessoas usam, sentando-se, inclusive, à noite, para conversar e/ou bater papo, naquela opção de lazer que algumas prefeituras, em meio à precariedade, ainda garantem.
 
As iniciais “JR”, nos bancos da Praça da cidade eram mais do que indicativas tratarem-se de uma velada propaganda de cunho pessoal.. pessoalíssimo; ali estava, por assim dizer, “a prova do crime” e logo em ano (2000) e período eleitorais. Os ‘dividendos’ para o referido gestor e para a sua campanha eram inquestionáveis. Não havia dúvidas sobre isso.
 
Por questão de praticidade, o nosso Escritório de Advocacia (à época com a participação do causídico Artur Gomes de Sousa), propôs uma representação eleitoral: em poucos dias, tivemos êxito, e a indecorosa propaganda, violadora do princípio da impessoalidade, foi suprimida daquele importante bem público – manchado pela nódoa do comportamento inadequado de um gestor, devidamente consciente da imoralidade praticada, em detrimento de outro valor imaterial: o respeito à coletividade e seus cidadãos – verdadeiros e legítimos destinatários das ações do Poder Público.
 
Infelizmente, após a retirada da propaganda com o nome de Juscelino Rezende dos bancos da Praça, em Vitorino Freire, por meio das letras – “JR”, qualquer outra punição não surgiu, uma vez que o Ministério Público não ajuizou ação de improbidade, para coibir a acintosa conduta, atracando-lhe a correspondente e providencial punição.
 
Transportemo-nos, agora, a Bom Lugar/MA – um Município ainda novo. Sua pobreza não é visualizada apenas do ponto de vista econômico e social; ela repercute, também, nas ações de seus gestores – até agora em número de três, a primeira, Zuíta, o atual, Sérgio e o ex, Marcos, estes dois últimos integrantes do ‘clã’ Miranda.
 
Infelizmente, tais gestores da família “Miranda” aproveitaram e ainda aproveitam a passagem pela Prefeitura para violar a regra contida no Artigo já citado (37, § 1º, da CF), imprimindo suas ‘marcas’, à semelhança de quem ferra seus gados usando o couro do animal.
 
A comparação soou meio estranha, mas vamos mantê-la, dado o melhor impacto que alcança, ante a indecência das práticas abomináveis, de gestores que, já na posse, prometeram cumprir seus deveres, zelando pelo cumprimento inarredável da Lei e da Constituição do País. A situação, infelizmente, tem sido na contramão do pregado.
 
Engraçado de tudo é que, no caso de Bom Lugar, os dois gestores (o anterior, Marcos, e o atual, Sérgio) se ‘combinaram’ para burlar a Constituição e os princípios que ela incorporou, um copiando o outro, sem qualquer preocupação com eventuais remorsos.
 
Quebrar o princípio da impessoalidade, foi (e ainda é) uma questão de mera repetição da conduta... uma opção, até. A traquinagem apenas passou de uma ‘mão’ à ‘outra’, no mesmo compasso do iniciante – Marcos Miranda.
 
Somente uma coisa não mudou: a busca de buscar dividendos, à custa da propaganda institucional do governo – uma carona condenável, só ‘ajustada’ para os tempos de grande distância entre os interesses dos que comandam e daqueles que são governados – o povo. Um tipo de ‘vácuo’, dentro do qual cabem muitos outros propósitos.
 
É fácil checar que a atual logomarca da Administração Municipal de Bom Lugar, capitaneada por Sérgio Miranda, contém um sinal indicativo de uma suposta estrada em “S” – na vertical, com a cor vermelha. É um feioso e até intruso estratagema, uma vez que o nome “Bom Lugar”, por óbvio, não contém a letra “S”, do nome do referido prefeito, daí a necessidade de incorporá-la à propaganda institucional. É a busca e a consecução do efeito prático.
 
O citado gestor fez, inclusive, um esforço danado para isso, achando que os contribuintes que pagam a conta, só terão olhos para achar o ‘lance’ bonito, nunca para reclamar da asquerosa tramóia, feita sem qualquer benefício para a Administração Pública.
 
Na verdade, esse subterfúgio é apenas o pretexto simbólico para justificar a colocação da primeira letra do primeiro nome do prefeito, ou seja, “S”, de Sérgio. Ou você acha, no caso, que o “S”, bem grande, na propaganda institucional da Prefeitura de Bom Lugar, significa “Sapo?” Ou significaria “Selva?”. Poderia ser “Salvação?” Me poupe, por favor!
 
Marcos Miranda, por sua vez, não era dado a manobras do tipo. Marcos, o ex-prefeito de Bom Lugar, era direto, bem objetivo; o citado gestor cunhava a letra “M”, de forma igualmente destacada e maior, na propaganda institucional, apta, claro, a atingir sua pretensão, de fundo personalíssimo. Ele aproveitava o “M” do vocábulo/palavra “Bom” – o primeiro nome oficial do Município.
 
Somente uma pessoa com o juízo em frangalhos poderia dizer que aquele grande “M” estaria associado, exclusivamente, ao nome da Municipalidade, tanto que o destaque da letra era mais do que proposital, a fim de incutir na mente o seu real objetivo – conectar o eleitor à figura pessoal do gestor, como forma de torná-lo meio refém de uma propaganda com certo impacto, notadamente pela regularidade de sua existência.  
 
Voltando à situação específica de Maura Jorge – agora com uma sentença judicial que lhe cassou os direitos políticos, impondo, além do mais, a perda de seu mandato de prefeita, poderia, eu, expressar a óbvia preocupação de que as consequências de seu ato (se confirmado pelo TJ em grau de recurso) fossem, talvez, bastante pesadas para a conduta tida por violadora do princípio constitucional da impessoalidade.
 
E talvez até seja, conforme o princípio da proporcionalidade. Entrar nesse mérito é tarefa, pois, da segunda instância – o Tribunal de Justiça, acaso o recurso não se enverede por caminhos tortuosos, para ‘engolir’ os meses restantes do mandato.
 
Mas o fato é que tais violações, há muito, deveriam ser objeto de controle pelo Ministério Público e também pelo próprio Poder Judiciário, para não se construir ou se defender a “teoria” de que os juízes deveriam cuidar de coisa mais importante, num País em que há notícia da existência concreta de gestores mais traquinos, aprontando todo o tipo de bandalheira, até mesmo roubando milhões do Erário.
 
O medo que faz, com tal pensar é que, daqui a alguns dias ou anos, tenhamos que elaborar uma escala mínima de violações, a partir da qual, só então, estaria o Judiciário legitimado a atuar, ajudando, assim, na elaboração de uma tresloucada ‘tese’ para acobertar ‘pequenos’ ilícitos, garantindo ‘salvaguarda’ para gestores públicos que teimam em desafiar as leis e até os cânones da Carta Política da nossa República.
 
Se um gestor municipal se encoraja a desafiar um princípio constitucional, como o da impessoalidade, ou mesmo outros, como os que versam sobre a moralidade e a legalidade, com mais razão ficará disposto para fazer pouco de uma norma infraconstitucional. E aí, tudo estará perdido.
 
A pergunta é: quando, então, a República estará pronta para ser respeitada em toda a sua extensão?
 
     
Obs. Como o texto ganhou volume, entendo mais adequado deixar o exemplo de Bacabal para outra oportunidade – até para não impor ao internauta um texto de tamanho que ele poderia ter dificuldade de aprovar.
 
 
*José Alex Barroso Leal já atuou em demandas do gênero, tendo movido ações populares em seu Município, Paulo Ramos/MA, no combate de ilicitudes e/ou imoralidades perpetradas por gestores públicos.

MARAJÁ DO SENA: REUNIÃO POLÍTICA DE EDVAN COSTA E LUÍS ABREU CAUSA PREOCUPAÇÃO. É preciso correr enquanto dá tempo!!


Deusimar Serra entre o prefeito Edvan Costa; Luís Abreu e a esposa, Terezinha. Deusimar é o que está mais empolgado. Qual a razão?
Discursos, sob o comando de Irineu Barros, de Lago da Pedra.


REUNIÃO POLÍTICA DO GRUPO DE LUÍS ABREU E EDVAN COSTA CAUSA PREOCUPAÇÃO: o reduzido número de participantes acendeu o ‘alerta’.

 
Nada que não se resolva, com o ‘andar da carruagem’. Mas é unânime a conclusão de que a Reunião política, acontecida ontem, sábado, em Marajá do Sena, para dar o pontapé inicial, rumo às eleições de outubro, faltou ‘ânimo’ nos participantes – incluindo uma boa parte importada de Paulo Ramos, para embalar o movimento.
 
A reunião, segundo alguns presentes, vai servir, ao menos, para corrigir a ‘rota’. ‘Melhor que seja antes’, confidenciou-nos uma pessoa do grupo da situação.
 
Nesse aspecto, a Reunião política deixou Luís Abreu e Edvan Costa bastante animados, uma vez que o pleito só ocorre daqui a seis meses – tempo suficiente para providenciar as ‘correções de rumo’, sob pena de enfrentar o maior naufrágio em matéria eleitoral.
 
Afinal, não seria lógico que dois grupos – incluindo o do atual prefeito Edvan Costa, percam o embate eleitoral de outubro para um só – o de Lindomar Araújo que, como vice-prefeito, não pôde fazer muita coisa em Marajá do Sena, vez que só ficou no cargo por três meses.
 
No restante, ficou a preocupação ‘dos cabeças’ do Grupo Político da situação que, agora, passaram a temer, de verdade, uma pesquisa, supostamente dando Lindomar Araújo na frente da preferência do eleitorado de Marajá do Sena.
 
Por sorte, o fiasco da reunião de ontem não aconteceu devido à ‘importação’ de gente de Paulo Ramos, incluindo até mesmo o ex-genro e ex-secretário do também ex-prefeito Noronha, Deusimar Serra; teve também a presença dos vereadores Francimar Oliveira, Ivan Matos e outras ‘lideranças’ – como ‘Gatinho’, do Povoado Centro dos Leite, que foi levado a Marajá para dar uma forcinha ao movimento do novo grupo da situação.
 
Ainda bem que alguém não teve a infeliz ideia de contar as pessoas de Paulo Ramos, presentes ao Encontro. Teria sido bem pior, uma vez que, dos participantes do movimento, um terço pertence a Paulo Ramos e, assim, sem qualquer ligação de voto com Marajá do Sena.
 
Mas na política, alguns fazem assim: costumam fazer o ‘bolo de gente’. Às vezes, funciona; mas no dia da eleição, o resultado da ‘soma’ costuma ser bem diferente daquela feita antes.
 
No mais, foi tudo bacana.... ficou apenas a certeza de que, pelo volume de gente, o sinal de ‘alerta’ quis dizer algo e alguém tem que saber decifrar a mensagem enviada.
 
Mensagem de ‘alerta’, quando vem pela primeira vez, não é preciso que a pessoa teime em pedir para ela botar a cara novamente.
 
Agora, é correr.
 
Se for somente pela questão temporal, está fácil de resolver o problema.
 
Mas se depender do eleitor, é preciso ir atrás dele. O eleitor é danado para dizer que já tem seu candidato, quando a outra parte só chega ‘depois’.
 
De nossa parte, vamos torcer para que Marajá do Sena tenha sorte, ainda que seja somente a partir de janeiro de 2017.
 
De todo o modo, ainda vale a pena.
 
Deus proverá.
 
E que assim seja!!

sábado, 26 de março de 2016

A PLANILHA DA ODEBRECHT 'ELOGIA' ROSEANA E SARNEY FILHO: 'Princesa' e 'Filhote'. É ruim, hein?!


Roseana Sarney e duas fotos que a colocam em tempos antagônicos
 
Zequinha Sarney, na defesa do País em Brasília



PLANILHA DA ODEBRECHT E OS FILHOS DE JOSÉ SARNEY: ROSEANA E SARNEY FILHO – ‘princesa’ e ‘filhote’.

 

“Viver é preciso; decifrar, também!”

 

 

A planilha apreendida na Construtora Odebrecht, pela Polícia Federal e que provocou o maior “terremoto” no meio político, nesta Semana, realmente precisa de um trabalho ‘sério’ para que se decifre parte dos codinomes que ela menciona, já que alguns são bem claros, como o caso do ex-senador Sarney, que a Planilha colocou pra ele o codinome “Escritor”.

 

Essa ‘qualidade’ de Sarney ninguém questiona muito, depois que ele entrou para a ABL – Academia da Bajulação Literária.

 

Mas a situação dos seus filhos, o deputado Zequinha e Roseana Sarney, até agora, necessita de uma explicação, com mais ênfase para o caso da ex-governadora do Maranhão – que aproveitou seus conhecimentos de socióloga para ‘fazer pouco’ da miséria social do Estado e dos maranhenses.

 

Roseana Sarney, na referida Planilha, tem codinome “Princesa”.  Você sabe o motivo? Hein?! Quem souber a razão, me diga. Mande-me, ao menos, uma mensagem. Como essa informação é valiosíssima, nós estamos agradecendo aos nossos ‘colaboradores’, antecipadamente.

 

Chamar Roseana de “Princesa” não seria engano? Ou seria fazer pouco da gente? Coisa estranha, não?! Vai ver, eles têm lá os seus motivos. É melhor deixar pra lá.

 

Se a Odebrecht cunhou o termo “Princesa”, para Roseana, quem é que é doido de dizer que está errado? Da minha parte, estou fora!

 

Agora, vamos à situação de Zequinha Sarney.

 

O deputado federal – que já está no seu 25º. mandato ininterrupto e é capaz de se esconder em Brasília, para ninguém achar, foi colocado na Planilha da Odebrecht de um jeito que desafia todos os parâmetros: “Filhote”.

 

Assim, os peritos já informaram que vão ter de trabalhar ‘dia e noite’, durante duas ou três semanas, para saber a origem do nome “filhote”, já que Zequinha Sarney, já conta com mais de 60 anos de idade. Essa condição etária, segundo os peritos da PF, estaria dificultando o trabalho de decifração.

 

De minha parte, posso garantir que Zequinha Sarney, quando pisou em minha terra, Paulo Ramos, eu tinha menos de 10 anos de idade; Zequinha, ‘naquelas eras’, já tinha vários mandatos nas costas.

 

Não sei o porquê, mas naquele tempo, alguns ficavam com chateação maldosa, dizendo que ele ‘só chegava lá’ porque ‘alguém levava’.

 

Talvez por pura intriga da oposição.

 

A gente sabe que o deputado Zequinha Sarney tem se empenhado muito em Brasília, em prol do País. Ele é tão empenhado, como político que quando estava à frente do Ministério do Meio Ambiente, teve que travar uma luta de ‘vida ou morte’, com Roseana Sarney – esta querendo mais verbas e o deputado dizendo que havia mandado ao Maranhão, 80% de todos os recursos da Pasta. Ele dizia que estava com medo de denúncia.

 

Roseana, para retaliar, teria jogado um copo no Deputado. Isso está no livro “Honoráveis Bandidos” – Um retrato do Brasil na era Sarney, de Palmério Dória.

 

Se tiver algum processo, no futuro, eu já estou ‘garantido’: como advogado, farei minha própria defesa; já Palmério Dória, será minha testemunha para provar o fato. Essa parte, ele se vira.

 

Nesse caso, meu amigo, que já estão falando até em processo, vou encerrando por aqui. Não quero me complicar, ainda mais com uma planilha ‘arrasa-quarteirão’, capaz de deixar pouca coisa em pé.

 

Afinal de contas, o seguro morreu de velho, e o desconfiado, ainda hoje é vivo!

 

Procura-se Palmério Dória. Só serve se for ‘vivinho da silva’.

 

Se alguém perguntar, diga que eu já fui!!

 
Fui!!!!!!!!!!